Tradutor

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

CADERNOS NEGROS VL.30 (contos)

O Quilombhoje convida você, familiares e
amigos para o lançamento do livro
CADERNOS NEGROS
VOLUME 30 – CONTOS
Dia 14/12/2007 (sexta-feira) às 19hs
No SESC PAULISTA (auditório)
Av. Paulista, 119 (Metrô Brigadeiro)Entrada Franca

- Sensibilização sobre Auto-Estima com a Psicóloga Maria Célia Malaquias
- Comentários sobre o livro: Escritora Elizandra Souza
- Performance: Akins Kinte e MC Rafão (Casa de Cultura de Santo André)
- Apresentação Artística: Cia. Koteban (Balé Afro e Percussão)

Cadernos Negros volume 30 - contos: Você precisa ler

Confirmado: é dia 14!
E é com muito orgulho pelo caminho já trilhado e desejosos de prosseguirmos sempre adiante nessa longa estrada de lutas que convidamos você, seus familiares e amigos para celebrar conosco a concretização de mais um projeto, herdeiros que somos do legado de nossos ancestrais, que resistiram em nome de um sonho: a liberdade.


Hoje nosso confronto se dá em vários campos: discriminação, invisibilidade, ausência de cidadania. Por isso estamos aqui, há 30 anos mostrando nossa cara e dando nossa cara a uma tradição que durante tanto tempo nos foi negada: a literária.


Os Cadernos surgiram em meio à efervescência do movimento negro, em 1978. Desde então vêm perpassando gerações, acionando em seus leitores a consciência de que, sim, podemos e devemos ocupar nosso espaço nesta sociedade e país que foram construídos à base de muito suor de nossos antepassados.
Embora com três décadas de vida, os Cadernos ainda enfrentam as dificuldades financeiras e culturais de sempre. O livro sai porque é feito na raça. A leitura ainda é pouco habitual entre a população, que, quando lê, opta pelo que o grande mercado oferece. Algumas luzes se acendem para se apagar em seguida.
Mas a série Cadernos Negros já conquistou um público que a acompanha, além de merecer atenção em alguns centros acadêmicos.


O lançamento do volume 30 de Cadernos Negros é mais do que uma festa, é um rito de passagem, a superação de mais uma fase e a preparação para outras que virão. Portanto, precisamos estar todos juntos, lá, nos encontrando, lendo, conversando e comentando sobre nossos contos. Enfim, sendo o que somos: povo brasileiro.

E temos sede de literatura afro!
Cadernos Negros volume 30 - contos: você precisa ler!
------------------------------------------------------------------
Ademiro Alves (Sacolinha)
Luiz Carlos de Oliveira
Allan da Rosa
Márcio Barbosa
Conceição Evaristo
Mel Adún
Cristiane Sobral
Michel da Silva
Cuti
Miriam Alves
Décio Vieira
Oubi Inaê Kibuko
Edson Robson
Raquel Almeida
Elizandra
Rosário Ngunza
Esmeralda Ribeiro
Ruimar Batista da Costa
Helton Fesan
Sergio Silva
Henrique Cunha
Sidney de Paula
Lande Onawale
Zula Gibi
----------------------------

Apoio: SESC – Paulista · Conselho Estadual de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra do Estado de São Paulo · Cone - Coordenadoria dos Assuntos da População Negra (PMSP) · Secretaria Especial de Políticas da Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) · Fundação Cultural Palmares · Revista Raça Brasil

Um comentário:

CresceNet disse...

Oi, achei seu blog pelo google está bem interessante gostei desse post. Gostaria de falar sobre o CresceNet. O CresceNet é um provedor de internet discada que remunera seus usuários pelo tempo conectado. Exatamente isso que você leu, estão pagando para você conectar. O provedor paga 20 centavos por hora de conexão discada com ligação local para mais de 2100 cidades do Brasil. O CresceNet tem um acelerador de conexão, que deixa sua conexão até 10 vezes mais rápida. Quem utiliza banda larga pode lucrar também, basta se cadastrar no CresceNet e quando for dormir conectar por discada, é possível pagar a ADSL só com o dinheiro da discada. Nos horários de minuto único o gasto com telefone é mínimo e a remuneração do CresceNet generosa. Se você quiser linkar o Cresce.Net(www.provedorcrescenet.com) no seu blog eu ficaria agradecido, até mais e sucesso. If is possible add the CresceNet(www.provedorcrescenet.com) in your blogroll, I thank. Good bye friend.