Tradutor

sexta-feira, 2 de abril de 2010

EVOCAÇÃO

Pudera eu
Pedir ao céu
Que viesse um
Vasto vendaval
E mandasse longe
Esse sentimento inferior
De teimosa companhia

Pudera eu
Pedir ao mar
Que formasse
A maior das ondas
E afastasse todos
Que tentam nos oprimir

Pudera eu
Pedir as matas
A proteção das ervas
Contra olhares
Que praguejam nossas ações

Pudera eu
Pedir ao arco-íris
Que colorisse nosso céu
Trazendo sorrisos
Aos rostos tristes
Transformando esse cinza
Em símbolo de paz.
Raquel Almeida



2 comentários:

Poesia de Esquina disse...

vou acender uma vela pra que essa evocação seja atendida rapidamente. Saudade de vcs. Parabéns e tamo junto.

Samanta Paloma Biotti Neves disse...

Que forte hein! Gostei muito, continua exalando sua voz, pregando nas letras o que você tem no coração, a sua inspiração, porque é lindo, toca no íntimo da gente.

Parabéns flor