Tradutor

domingo, 25 de julho de 2010

Artista Camaronense Boniface Ofogo Nkama é impedido de entrar no BRASIL

Boniface Ofogo Nkama

Boniface Ofogo Nkama (http://www.boniofogo.com/ ) nascido na República dos Camarões e radicado na Espanha desde 1988, nosso convidado para o Simpósio Internacional de Contadores de Histórias (www.simposiodecontadores.com.br) que acontecerá na próxima semana, no Rio de Janeiro e em Ouro Preto, foi impedido de entrar no Brasil, no aeroporto de Confins/BH, pela Polícia Federal que alegou falta de visto, no dia 23/07/2010(sexta-feira),vindo de Madri em voo da TAP.


Ele havia estado com a Vice-Cônsul do Brasil em Madri, no dia 20/07, com toda a documentação e foi informado que há pouco tempo foi celebrado um acordo que dispensava o visto dos cidadãos camaroneses. Confirmando o e-mail que eu havia recebido do setor de vistos do Consulado do Brasil em Madri dizendo não haver necessidade, pois a carta convite de intercâmbio cultural era suficiente para sua estada no país, como turista, durante três meses.


Boniface embarcou sem problemas, mas ao chegar ao aeroporto de Confins/MG a Policia Federal não permitiu sua entrada. Embora ele tenha relatado toda a situação, mostrado os documentos, cartas, e-mails, seus livros, o programa do Simpósio de Contadores. UMA SITUAÇÃO HUMILHANTE E CONSTRANGEDORA.


Boniface me telefonou às 17 horas dizendo que às 19 horas seria DEVOLVIDO a Madri. Imediatamente liguei para a Polícia Federal do aeroporto de Confins perguntando o que poderíamos fazer. E eles me disseram que nada.


Recorremos ao serviço de imigração e o Ministério das Relações Exteriores enviou uma permissão para a entrada no país.
A Polícia Federal alega que a permissão chegou as 19h31 e o voo já havia partido as 19 horas. E novamente me disse que não se podia fazer mais nada.


ESSA ATITUDE É INACEITÁVEL. Boniface é um artista reconhecido internacionalmente e que já esteve em 18 países sem nenhum problema, inclusive no Brasil, em dois simpósios anteriores, e foi um dos protagonistas do documentário Histórias que gravamos aqui em 2005.

Estou envergonhada e preciso tomar uma atitude, pois tenho certeza que houve PRECONCEITO COM UM AFRICANO, POR SER NEGRO E ARTISTA.

Boniface é um artista excepcional, um contador de histórias, um intelectual, um mediador intercultural, um escritor. Vinha para o Brasil para estrear no Simpósio o documentário En Memória uma homenagem a seu pai, recentemente falecido.Ele é da etnia yambasa onde seu pai era rei e o detentor da palavra, um mestre da cultura popular.E Boniface por tradição agora representa na sua etnia o que foi seu pai.

Nossa primeira ação foi entregar para um advogado todos os documentos pedindo que Boniface seja trazido ao Brasil para o evento com todo o respeito e dignidade que merece. E com um pedido de desculpas do governo brasileiro.


A situação é lamentável nesse momento em que o Presidente Lula acaba de voltar da África para acordos de cooperação com esse continente que é o berço da humanidade.


E imaginem o que pode acontecer na Copa do Mundo de 2014 e nas Olimpíadas de 2016 se as informações dos consulados do Brasil no exterior divergem das que existem no nosso país.

Peço a todos que nos apoiem enviando este email para sua rede de amigos e para todas as instituições públicas e privadas, nacionais e internacionais, que conheçam. E repliquem esse e-mail nos seus blogs e nas redes sociais.

Benita Prieto
Idealizadora e Produtora do
Simpósio Internacional de Contadores de Histórias
e-mail : simposiodecontadores@simposiodecontadores.com.br

7 comentários:

vato cria das ruas... disse...

lamentavel .....

Sou DILMAIS! disse...

É um absurdo! O Brasil precisa deixar de ser hipócrita e racista!
Abraços

Mar Eu disse...

Brigaduuuuu Michel por colocar a matéria no blog...Benita Prieto é uma das mais sérias profissionais que eu conheço e ela tá muito certa de ficar totalmente indignada com essa situação...falta de respeito total pelo artista e preconceito sim...sem meias palavras !

FÊSTEFANI disse...

Se ele de fato não tinha visto para entrar no país, mais acertada não poderia ser a atitude da Polícia Federal, que diga-se de passagem deve ser uma conduta NORMAL , não INACEITÁVEL, visto que apenas foi cumprido o poder-dever da polícia em uma situação, que aplica-se a qualquer pessoa que dê entrada no país. Absurdo é dizer que houve discriminação em razão da etnia do convidado, essa afirmativa sim, não pode passar impune, quando o que ao meu sentir ocorreu foi apenas a conduta que deveria ser adotada por todo e qualquer policial, para toda e qualquer pessoa, independentemente de raça, cor, etnia, opção sexual, religião, é um dispaltério suscitar a lisura da atividade policial mineira, bem como imputar a prática de tratamento discriminatório.
Me envergonho sim, de encaminhar esta mensagem para meus amigos, apoiando este manifesto vazio e inócuo, que somente possuí o condão de causar alvoroço em torno de um procedimento padrão e corriqueiro, e que sequer possui argumentos para sustentar, deveríamos agradecer sim a atitude pois, certamente o procedimento de entrada no país vem sendo averiguado, acautelando assim a sociedade brasileira, a mais interessada na segurança nacional.
Sou a favor da arte, da cultura, da convivência pacífica entre os povos, do multiculturalismo, mas não posso comungar das suas palavras pois, ferem de maneira, crassa, densa a sociedade brasileira, pois nos calamos quando um nacional é extraditado, ainda que em conformidade com os ditames locais, nos calamos quando um nacional é assassinado a sangue frio em uma estação de metrô, nos calamos quando centenas de milhares de nacionais são feridos em sua dignidade humana em travessias mirabolantes na busca da grande maçã, nos calamos com nossos homens, e mulheres também apodrecendo, definhando dia após dia em cadeias sem que o poder público deles se ocupe, embora, a concessão de uma permissão para a permanência no país é "conseguida" em menos de cinco horas, isto sim, me envergonha, pois, demonstra quão frágil é o nosso país, o quanto ainda estamos presos nas amarras da politicagem barata, quando na verdade, o que ocorria era o claro cumprimento da Lei.
Criticar é fácil, encontrar um culpado? pode-se perder dias e dias nessa labuta. Mas o que me deixa intrigada é crer que os meios de comunicação, que deveriam ser os precursores da cultura, da educação, da política, instrumentos necessários para criar o pensamento crítico dos cidadãos tem sido utilizado de uma maneia deturpada, satisfazendo interesses pessoais, imputando ainda, conduta criminosa da instituição da polícia federal no caso narrado.
Não sou policial, mas sou brasileira e não consigo conceber o aviltamento da polícia, mesmo que falha, eficaz naquilo a que pretende.

Quarta-feira, 28 de julho de 2010.
Belo Horizonte, Minas Gerais
Fernanda Stefani
festefani@hotmail.com

Anônimo disse...

Olá Estefani !

obrigado pelo comentário
sua opinião é importante para discussão de um tema tão importante e nada irrelavente, ao menos para nós.

Essa postagem só foi colocada no ar porque também somos a favor da cultura, educação, politica. E também somos a favor do multiculturalismo, contra qualquer discriminação e preconceito. mas nem por isso deixaremos de relatar ou falar de fatos que nos remetem ao tratamento racista e preconceituoso da policia Federal com um profissional....

Não somos a favor de um cumprimento de lei que faz com que um consul autorize a entrada de um profissional importante no nosso pais legalmente e que por despreparo e desrespeito só reconheça sua legalidade meia hora depois dele ter sido ennviado de volta. isso não é um procedimento normal!

E apesar de todo mundo ser contra tudo e ao mesmo tempo normalizar e naturalizar tudo, mantemos nossa opinião de repudio ao acontecido em Minas Gerais.

Pois esse descaso impediu que uma pessoa de grande contribuição a educaçao do nosso país, mesmo não sendo brasileiro, pois sabe a importancia que tem a evidencia e a discussão da cultura africana nesse pais, para que educadares e pensadores analisem e sejam difusores de um vies histórico que não privilegie somente o olhar e os herois estrupadores europeus.

Não acreditamos que denunciar uma pratica injusta é deturpar o senso critico. Não acreditamos que seja impossivel uma pratica criminosa da policia , mesma que seja a Policia federaL, pois justamente por termos um sistema penal e de segurança dos mais corruptos e discriminatórios que situações que vc aponta como a busca da maçã, cadeias lotadas acontecem, pois não há paz sem justiça, pois não há igualdade sem justiça.

mas de justiça teorica já estamos bem servidos, é preciso questionar e debater a pratica dessa justiça.

Não tiro o mérito de ser inaceitável que um "nacional" seja extraditado e até morto em paises extrangeiros .

mas garanto que enquanto aceitarmos que nosso povo, que não faz parte dessa nação, isso na pratica tá...seja extraditado dos seus direitos basicos e tenha sua humanidade assassinada,não haverá grandes mudanças desse quadro lamentável.

mas o dia que vc quiser conhecer nosso trabalho, além dos meios de comunicação. Participar de um sarau incentivando a leitura e a escrita nas quebradas,realizar oficinas nas instiutições de internação para adolescentes em medida socio educativa, quiser contribuir com nossa biblioteca comunitária, quiser adquirir e incentivar os trabalhos feitos por poetas populares é só chegar.. ah e se quiser ver como a segurança pública tem tratado os negros brasileiros é só ficar alguns dias em nosso bairro e verá na pratica, vale a pena

estamos nas ruas e dispostos a circular as idéias, onde o conhecimento agoniza pra se expressar.

Que o racismo seja reconhecido e discutido e não encoberto e minimizado!

Nada se encerra aqui! Faz 510 anos que tudo tem sido normal nesse pais.


Michel Yakini
brasileiro, mesmo que me neguem muitos direitos por isso

Sarau Elo da Corrente

Anônimo disse...

Olá Estefani !

obrigado pelo comentário
sua opinião é importante para discussão de um tema tão importante e nada irrelavente, ao menos para nós.

Essa postagem só foi colocada no ar porque também somos a favor da cultura, educação, politica. E também somos a favor do multiculturalismo, contra qualquer discriminação e preconceito. mas nem por isso deixaremos de relatar ou falar de fatos que nos remetem ao tratamento racista e preconceituoso da policia Federal com um profissional....

Não somos a favor de um cumprimento de lei que faz com que um consul autorize a entrada de um profissional importante no nosso pais legalmente e que por despreparo e desrespeito só reconheça sua legalidade meia hora depois dele ter sido ennviado de volta. isso não é um procedimento normal!

E apesar de todo mundo ser contra tudo e ao mesmo tempo normalizar e naturalizar tudo, mantemos nossa opinião de repudio ao acontecido em Minas Gerais.

Pois esse descaso impediu que uma pessoa de grande contribuição a educaçao do nosso país, mesmo não sendo brasileiro, pois sabe a importancia que tem a evidencia e a discussão da cultura africana nesse pais, para que educadares e pensadores analisem e sejam difusores de um vies histórico que não privilegie somente o olhar e os herois estrupadores europeus.

Não acreditamos que denunciar uma pratica injusta é deturpar o senso critico. Não acreditamos que seja impossivel uma pratica criminosa da policia , mesma que seja a Policia federaL, pois justamente por termos um sistema penal e de segurança dos mais corruptos e discriminatórios que situações que vc aponta como a busca da maçã, cadeias lotadas acontecem, pois não há paz sem justiça, pois não há igualdade sem justiça.

mas de justiça teorica já estamos bem servidos, é preciso questionar e debater a pratica dessa justiça.

Não tiro o mérito de ser inaceitável que um "nacional" seja extraditado e até morto em paises extrangeiros .

mas garanto que enquanto aceitarmos que nosso povo, que não faz parte dessa nação, isso na pratica tá...seja extraditado dos seus direitos basicos e tenha sua humanidade assassinada,não haverá grandes mudanças desse quadro lamentável.

mas o dia que vc quiser conhecer nosso trabalho, além dos meios de comunicação. Participar de um sarau incentivando a leitura e a escrita nas quebradas,realizar oficinas nas instiutições de internação para adolescentes em medida socio educativa, quiser contribuir com nossa biblioteca comunitária, quiser adquirir e incentivar os trabalhos feitos por poetas populares é só chegar.. ah e se quiser ver como a segurança pública tem tratado os negros brasileiros é só ficar alguns dias em nosso bairro e verá na pratica, vale a pena

estamos nas ruas e dispostos a circular as idéias, onde o conhecimento agoniza pra se expressar.

Que o racismo seja reconhecido e discutido e não encoberto e minimizado!

Nada se encerra aqui! Faz 510 anos que tudo tem sido normal nesse pais.


Michel Yakini
brasileiro, mesmo que me neguem muitos direitos por isso

Sarau Elo da Corrente

Anônimo disse...

Olá Estefani !

obrigado pelo comentário
sua opinião é importante para discussão de um tema tão importante e nada irrelavente, ao menos para nós.

Essa postagem só foi colocada no ar porque também somos a favor da cultura, educação, politica. E também somos a favor do multiculturalismo, contra qualquer discriminação e preconceito. mas nem por isso deixaremos de relatar ou falar de fatos que nos remetem ao tratamento racista e preconceituoso da policia Federal com um profissional....

Não somos a favor de um cumprimento de lei que faz com que um consul autorize a entrada de um profissional importante no nosso pais legalmente e que por despreparo e desrespeito só reconheça sua legalidade meia hora depois dele ter sido ennviado de volta. isso não é um procedimento normal!

E apesar de todo mundo ser contra tudo e ao mesmo tempo normalizar e naturalizar tudo, mantemos nossa opinião de repudio ao acontecido em Minas Gerais.

Pois esse descaso impediu que uma pessoa de grande contribuição a educaçao do nosso país, mesmo não sendo brasileiro, pois sabe a importancia que tem a evidencia e a discussão da cultura africana nesse pais, para que educadares e pensadores analisem e sejam difusores de um vies histórico que não privilegie somente o olhar e os herois estrupadores europeus.

Não acreditamos que denunciar uma pratica injusta é deturpar o senso critico. Não acreditamos que seja impossivel uma pratica criminosa da policia , mesma que seja a Policia federaL, pois justamente por termos um sistema penal e de segurança dos mais corruptos e discriminatórios que situações que vc aponta como a busca da maçã, cadeias lotadas acontecem, pois não há paz sem justiça, pois não há igualdade sem justiça.

mas de justiça teorica já estamos bem servidos, é preciso questionar e debater a pratica dessa justiça.

Não tiro o mérito de ser inaceitável que um "nacional" seja extraditado e até morto em paises extrangeiros .

mas garanto que enquanto aceitarmos que nosso povo, que não faz parte dessa nação, isso na pratica tá...seja extraditado dos seus direitos basicos e tenha sua humanidade assassinada,não haverá grandes mudanças desse quadro lamentável.

mas o dia que vc quiser conhecer nosso trabalho, além dos meios de comunicação. Participar de um sarau incentivando a leitura e a escrita nas quebradas,realizar oficinas nas instiutições de internação para adolescentes em medida socio educativa, quiser contribuir com nossa biblioteca comunitária, quiser adquirir e incentivar os trabalhos feitos por poetas populares é só chegar.. ah e se quiser ver como a segurança pública tem tratado os negros brasileiros é só ficar alguns dias em nosso bairro e verá na pratica, vale a pena

estamos nas ruas e dispostos a circular as idéias, onde o conhecimento agoniza pra se expressar.

Que o racismo seja reconhecido e discutido e não encoberto e minimizado!

Nada se encerra aqui! Faz 510 anos que tudo tem sido normal nesse pais.


Michel Yakini
brasileiro, mesmo que me neguem muitos direitos por isso

Sarau Elo da Corrente