Tradutor

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

LINHAGEM por Michel Yakini


Nossa avó é a coragem

Escalando essa serra

Renegando o açoite

De muitas noites em claro

E revolta no olhar



Nossa mãe é ponta firme

Trançando sua versão

Sepultando a macheza

Ergue o pulso adiante

Se a opressão cutucar



Tu és a força presente

Lança certeira da prosa

Ventre fértil mãe preta

Embalando o futuro

Nosso fruto secular



Nossa filha é essência

Horizonte de argila

Esculpindo as canções

Nos cantos do passado

Pelos ares ecoar.



Essas são nossas memórias

Nossas linhas na história

Escrita em letras de mão

Com graveto na areia

Pra no vento se espalhar

Um comentário:

Mar disse...

Quando vamos ver todos esses versos em livro???
No aguardo...