Tradutor

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

CATURRA - Novo livro de Fuzzil (em breve)

Desbrava Caturra!
Letra que não nada a favor pra não encalhar na mesmice.
Faz do verso alimento pro vento que chacoalha a página e instiga o versado.
Poesia, Literatura, Oralitura: É assim que Fuzzil arquiteta sua arte.
Faz da palavra a imagem criativa, o deguste visual, além da lida comum.
Enuncia a ancestralidade, sua afirmação nas linhas da história. Que antes de Capão, já gingava Capoeira nos mocambos, no escambo de dores e descobertas, na alquimia da lágrima em luta.
Pois “o poema/foi feito de pedra” e “pesa”, mas Fuzzil sabe bem que o tempo é rei e antes de pesar nas mãos de quem caleja a pedra-poesia, carece ser lapidada.
Assim, eis Caturra:
Poesia-pedra-lapidada!

Michel Yakini - Elo da Corrente Edições




Faculdade

Minha faculdade é a rua!
Formei-me em Letras,
História e Geografia.

Fiz letra de samba,
Letra de rap,
Letra de forma,
Letra de mão,
Letra de pixo,
Letra de grafite.

Fiz histórias nas ruas!
Contei histórias da vida,
Histórias de manos e minas,
Histórias do cotidiano...
Histórias de miliano,
Histórias verídicas.

Andei pelos guetos, becos,
Observei os terrenos baldios,
Construí poemas de madeira,
Barracos de papel.
Observei os arranhas céus
Os córregos poluídos.

Minha faculdade é a rua!
Formei-me em Letras,
História e Geografia.


Revolta

Revolta!
Revolta!
Revolta!

- Rê, volta
Por que
Te
Amo.



Levi de Souza, conhecido como Fuzzil, é morador do Capão Redondo; nasceu em 1976 no Hospital Santa Mônica em Santo Amaro. zona sul de São Paulo. Filho de Edite Carvalho de Souza cozinheira e Elio de Souza, metalúrgico.

     Em 2007 lançou seu primeiro livro de poesias “Um Presente Para o Gueto” (Edições Toró) e no mesmo ano foi indicado ao Prêmio Hútuz na categoria “Ciência e Conhecimento”. Publicou seu trabalho em diversas revistas e foi destaque de alguns documentários. É co-autor do livro "Pelas Periferias do Brasil volume II”, organizado por Alessandro Buzo. Ganhador do Prêmio "Cooperifa” (Cooperativa Cultural da Periferia) em 2006, 2007, 2008.

2 comentários:

vato disse...

fuzzil é zika memu!!! tenhu esse primeiro livro dele hehe logo maiz o segundo noiz pega salvee

Anônimo disse...

Que seja bem vindo, mais um presente para o gueto, dessa vez com o nome "Caturra". Desde já fica o convite, para quando ele chegar, caminhar até a Brasilândia para ser saravado pelos tambores da brasa.
Parabéns Fuzzil e Elo da Corrente Edições, Tamu junto.
Vagner Souza - Coletivo Cultural Poesia na Brasa