Tradutor

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Sarau Elo da Corrente #134 - Roda de ontem

A Literatura é uma bussola que todas as quintas feiras nos aponta ao suspenso. Não saímos voando pro aí como pássaros desbravadores, ainda não, mas ficamos um tanto distante do tempo e do espaço. Parece que a quebrada fica eterna em duas horas e não há força alguma que possa interromper esse magnetismo que nos ronda e nos conforta durante os olhares e vozes atentas da versação que ecoa do bar do Santista.


As palmas dão o ritmo, o anuncio do giro, avisa que a renovação é o agora, tem que ser já e se impõe pra que as palavras não se percam dentro da gente, antes de ganhar a noite. Será que depois que cada verso é dito, as palavras saem por aí a procura dos despercebidos? Ou será que elas foram repousar na lua cheia? Pois quando o sarau terminou ela estava tão brilhante, tão cheia de poesia.


Nossa roda é a mais miúda que eu conheço, e só quem consegue enxergar no brilho mais tímido de cada retina sabe o valor que isso tem. Sim, a gente ta cansado e triste de ter que lamentar as mazelas que não desgrudam toda semana, mas como é bom ver os amigos dando importância pra chegar bem, erguer a cabeça e trazer de presente um verso pra chamar na roda.



Um minuto de poesia pela ausência do Elcio e mais um minuto de silêncio pela ausência do vizinho Helio. Fique em paz.



Um salve pra quem é local, um salve pro Sergio que ta de volta e pra quem veio debutar como o Jader Oliveira, lançando seu livreto, o Rafael e sua serenidade transformada em força, e pro camarada que a literatura me fez amigo Emerson Alcalde.



Tivemos a ousadia de realizar uma exposição de fotos da Sonia Regina Bischain com suas imagens do primeiro sarau do ano, um presente pra cada um que esteve aqui.



E a campanha VOLTA JOÃO! continua firme, dessa vez com uma baita encenação do Divino e do Vagner para O Homem que Viu o Cão.



Semana que vem é nosso respiro e dia 03 tem Sonia Bischain com sua bela prosa “Nem Tudo é Silêncio” além de um intercambio de apresentação com o Sarau da Brasa.



Até já !


Edu


Eunice


Zé Correia


Diogo


Folheto de JAder Oliveira


Sergio



Roberto Guerreiro


Divino
Vagner e Divino



Emerson Alcalde e Jader


Nossa roda

2 comentários:

Extremos Atos disse...

Salve! Curti o sarau elo da corrente e vou voltar mais vezes. A energia desse lugar é maravilhosa.
Pirituba é noiz.

Mar disse...

Roda miúda, mas quanta coisa cabe...
Cabe a emoção dos novos...eles quase não acreditam no que ouvem e vêem...
Cabe a emoção dos de sempre, renovada a cada quinta...
Cabe o tambor que aqui toca de um jeito todo nosso...
Cabe tristeza por saber que talvez todas as quintas se misturarão alegrias das boas notícias e lágrimas das notícias que não gostaríamos de dar...
Quanta coisa cabe nessa roda miúda...